DAS PASSARELAS PARA A VIDA REAL: 5 TENDÊNCIAS DAS SEMANAS DE MODA PARA A PRÓXIMA TEMPORADA

Chanel

Um fato inegável acerca das últimas semanas de moda é o impacto que as coleções prêt-à-porter sofreram devido ao contexto social que vivemos este ano. A quarentena nos fez valorizar cada vez mais o conforto e a praticidade, sem abrir mão da beleza, e esse comportamento se viu refletido amplamente na cena fashion. Pela primeira vez em muito tempo, vimos coleções que transcendem o glamour das passarelas e que parecem feitas e pensadas para uma vida real e que acompanham um lifestyle que preza o bem-estar e a ergonomia ao vestir-se. Seguindo essa estética e funcionalidade, algumas tendências predominaram nas passarelas mais badaladas do mundo. Vamos conferir?

Calças oversized

Louis Vuitton

Em um ano em que o conforto virou prioridade número 1 no terreno da moda, as calças justas e estruturadas perderam a vez para versões mais amplas e maleáveis. Permitindo uma movimentação confortável, as calças oversized ganharam as passarelas das últimas semanas de moda. Entre grifes como Louis Vuitton, The Row, Stella McCartney, Chanel e Hermés, elas ganham um lugar de destaque para a próxima temporada em um mix entre conforto e sofisticação.

Ombros volumosos

Balmain

Ombreiras estruturadas não são uma grande novidade entre as tendências fashion mais atuais, mas as últimas semanas de moda indicam que essa tendência não deve desaparecer nem tão cedo. Para a próxima temporada, os ombros volumosos podem surgir em versões mais dramáticas e pontudas, como as desfiladas por Balenciaga, Balmain, Givenchy, Yohji Yamamoto, Maison Margiela e Moschino.

Balenciaga

Moletom estilizado

Miu Miu

Ainda que sejam focadas em uma temporada de calor, as últimas coleções prêt-à-porter contam com peças leves para os dias mais frescos. A grande aposta para um vestuário mais quente se conforma em torno dos moletons. Eles que ganharam o spotlight da moda no contexto de quarentena aparecem agora em interpretações divertidas e inusitadas. Em estampas coloridas, com aplicações de bordados, frases e adornos diversos, os moletons confeccionados por labels como Givenchy, Miu Miu, Balenciaga, Max Mara, Maison Margiela, Prada e Vivienne Westwood chegam com a tendência de imprimir toques de playfulness a um vestuário predominantemente minimalista.

Segunda pele

Burberry

Se os moletons têm a proposta de esquentar de forma divertida, as segundas peles invadem a próxima temporada com a proposta de cubrir o corpo com leveza e delicadeza. Desde blusas e vestidos até calças ou macacões, essas peças finas e muitas vezes transparentes proporcionam stylings super interessantes e que exploram sobreposições. Modelos apresentados por marcas como Maison Margiela, Balmain, Chanel, Versace, Vivienne Westwood, Burberry e Fendi aparecem abraçados ao corpo em uma proposta simples e leve.

Maison Margiela

Túnicas leves

Fendi

Camadas longas que envolvem o corpo conformam a silhueta predominante para a estação. Desfiladas por grandes marcas como Jil Sander, Fendi, Alberta Ferretti, Prada, Chloé e Dior, túnicas fluídas e leves proporcionam um styling descomplicado sem deixar a elegância de lado. A tendência também promete se manifestar em composições com camadas ou sobreposições: tudo indica que combo túnicas + calças será uma constante no street style das fashionistas mais antenadas.

Beijos, Lalá.

A VEZ DOS MONOCROMÁTICOS

Vestir-se da cabeça aos pés em uma só cor tem ganhado um twist descolado e um impulso fashion acompanhado das novas tendências para o mundo da moda. Para falar a verdade, os looks monocromáticos já tem calcado sua ascensão como tendência fashion há algumas temporadas e anunciam uma chegada em peso nas últimas coleções prêt-à-porter das grifes mais influentes ao redor do mundo.

As últimas semanas de moda apresentaram coleções minimalistas e despreocupadas nas quais a monocromia reinou em meio a silhuetas simples e shapes elegantes. Deslocando-se para além dos clássicos preto e branco, os monocromáticos da vez prometem roubar a cena e se manifestam predominantemente em tons neutros (preparem-se para muitos stylings em looks total bege) e terrosos, podendo também saltar em cores super vibrantes.

Entre tecidos fluídos como aqueles das leves e translúcidas túnicas desenhadas por Maria Grazia Chiuri para a Dior, a alfaiataria impecável como a apresentada nos desfiles da Fendi, Salvatore Ferragamo e Balmain, ou ainda tecidos estruturados como os icônicos couro Hermés ou tweed Chanel, a monocromia encontrou seu lugar de destaque e prevaleceu entre contrastes de formas e texturas, prometendo ser uma aposta simples, elegante e tudo menos boring!

Beijos, Lalá.

AS IT-BAGS DA ESTAÇÃO SÃO LIVRES DE AMARRAS E CHEIAS DE PERSONALIDADE

Simone Rocha

Naturalmente pensados para complementar o vestuário em diferentes propostas de looks, os acessórios não costumam dominar o protagonismo na cena fashion. Nas últimas semanas de moda de Milão e Paris, contudo, pudemos acompanhar o predomínio de um vestuário minimalista, funcional e confortável, que surgia acompanhado de acessórios divertidos e ousados. Teriam as roupas se apropriado da função utilitária dos acessórios por completo, libertando os últimos de seu papel funcional? Ou será que os grandes estilistas transferiram toda sua ironia e irreverência criativa de cortes e modelagens mirabolantes para acessórios que se emancipam de sua imprescindibilidade? O que sabemos é que definitivamente os acessórios para as próximas temporadas surgem livres de qualquer lógica ou função pré-determinada, agregando toques de estilo e peculiaridade a silhuetas leves e descomplicadas.

Queridinhas dentro do vasto universo dos acessórios, as bolsas seguem uma tendência inusitada e cheia de playfulness. Designs que remetem a sacolas de frutas tramadas em rede de nylon surgem reiterpretados em ricos materiais como couro, pedrarias, pérolas, miçangas e lãs. Tramas artesanalmente trabalhadas em bordados, crochês, macramês e entrelaces contribuem para imprimir riqueza de detalhes e sofisticação a essas peças, que prometem ser tornar grandes desejos da estação.

Essas it-bags se materializam através do traço de designers e grifes altamente conceituadas, que imprimem toda a delicadeza e cuidado do savoir-faire em modelos que conquistam por meio de uma beleza incomum. Desenhos como os desenvolvidos pela Maison Valentino, Fendi, Christian Dior, Burberry, The Row, Nanushka, Anna Sui e Simone Rocha dão forma ao que promete ser uma super trend para as próximas temporadas. E o melhor de tudo? Seu caráter artesanal, ainda que muitas vezes impresso em materiais lustrosos e sofisticados, permite que as mais aventureiras se dediquem a criar seus próprios modelos em casa.

Beijos, Lalá.

LOUIS VUITTON ENCERRA A PFW EM APRESENTAÇÃO HISTÓRICA

Como já é de costume, a tradicional Louis Vuitton encerrou com seu desfile o que possivelmente foi a PFW mais diferente de todas as suas edições por muitos anos. Como digno de um desfile de encerramento, a magia das passarelas não foi deixada de lado, mas a experiência virtual foi amplificada a um outro nível. No interior do icônico edifício La Samaritaine, convidados se misturavam a câmeras de 360 graus que permitiam espectadores distantes a assistirem ao desfile como se estivessem lá, girando suas cadeiras para captar cada ângulo do espaço e cada modelo que desfilava.

A coleção apresentada caminhava bastante alinhada à estética Art Deco do local de sua apresentação, e o desfile equilibrava nuances que mesclavam o passado ao presente, numa entrega contemporânea e, ao mesmo tempo, carregada de referências vintages. Nicolas Ghesquière, diretor criativo à frente da grife francesa, comandou uma coleção ousada e impactante, com o predomínio de peças que conversavam com a estética genderless.

Segundo o estilista, sua principal inspiração não foi a escolha de uma temática em si, mas sim a exploração de uma zona cinzenta que paira entre conceitos de feminilidade e masculinidade. Pessoas que estão se libertando de convenções sociais e se permitindo explorar novas possibilidades para se expressar através da moda foram a motivação inicial para criar uma coleção diversa e multifacetada. Além das silhuetas oitentistas tão características do traço do designer, as passarelas contaram com peças que exploravam itens que flutuam entre o feminino e o masculino sem se fixar em um dos dois extremos. Alfaiataria da mais alta qualidade modelada em silhuetas amplas, bermudas e calças largas, sobretudos elegantes e estampas gráficas deram o tom a um desfile que uniu o clássico ao jovem em uma inspiração audaciosa e super atual.

Beijos, Lalá.

Sonho e realidade se encontram na nova coleção prêt-à-porter da Chanel

Reprodução: L’Officiel Brasil

Um show digno de Hollywood. E foi assim que Chanel marcou seu impacto ao apresentar sua nova coleção prêt-à-porter para a próxima temporada primavera-verão. Projetando o nome da marca como letreiro de Hollywood, a tradicional maison francesa lançou seu teaser para o que viria a ser uma coleção de tirar o fôlego. A locação do desfile, o suntuoso Grand Palais de Paris, seguiu a mesma releitura do icônico letreiro sobre as montanhas de Santa Monica que soletrava o nome da grife.

Realista e ao mesmo tempo sofisticada, a coleção apresentada por Virginie Viard teve inspiração direta no universo cinematográfico. Sua diretriz, contudo, não foram os filmes ou muito menos seu caráter fictício, mas sim as figuras femininas que os interpretam. A diretora criativa à frente da label mergulhou nas vidas dicotômicas das atrizes modernas, que transitam entre o glamour do tapete vermelho e tarefas da “vida real”, como ir ao banco ou comprar um Starbucks na esquina.

E o grande letreiro à la Hollywood foi apenas o pontapé inicial para dar palco a um desfile que amarrou o conceito da coleção com delicadeza e maestria. Os looks desfilados entregavam uma estética bastante “cool girl” parisiense, em um mix elegante e descolado. Os icônicos casaquetos da marca ganharam um toque de playfulness com ombreiras super estruturadas no estilo oitentista e contrastadas com jeans ou bikers shorts no tradicional tweed da label. Cardigãs oversized e com amarração evocavam robes, vestidos sofisticados remetiam ao luxo do red carpet, estampas em preto e branco refletiam o romance de filmes antigos e prints gráficos no estilo grafite simulavam anúncios de outdoors, em um mix de motivos que conversavam perfeitamente para entregar uma coleção que nos faz sonhar de olhos bem abertos.

Beijos, Lalá.